Transporte seguro de crianças em veículos

Fissuras mamárias e pós-parto com Laserterapia
17 de janeiro de 2020
Volta às aulas: qual a mochila ideal?
28 de janeiro de 2020
 

O transporte de crianças em veículos é um assunto muito importante.

Desde a maternidade, a criança recém-nascida deve ser transportada em assento apropriado e no banco traseiro do veículo, como determina a nossa legislação. A criança nunca deve ser transportada no colo.

Vale lembrar que os vidros traseiros do automóvel devem ficar abaixados apenas o suficiente para permitir ventilação e a criança deve sempre entrar e sair do carro pelo lado da calçada.

Importância da cadeirinha

A cadeirinha, além de ser exigida por lei, previne que a criança, no caso de acidente, seja “lançada” para fora do veículo (expulsão do veículo), promove o contato com as partes mais resistências do corpo, distribui a força da colisão por toda a área do corpo. Além disso, ajuda o corpo a desacelerar no momento da colisão e protege a cabeça e a coluna vertebral da criança.

Como escolher a melhor cadeirinha?

Como não existe um assento que seja de consenso, o mais seguro ou o melhor, o ideal é aquele que melhor se adaptar no banco traseiro do carro e que será utilizado corretamente a cada transporte.

Preço, modelo e marca não influem na segurança da criança, mas devem, sim, ser aprovadas pelo INMETRO.

A cadeirinha escolhida deve ser testada no carro e será a adequada se estiver bem “encaixada” ao cinto de segurança e ao banco traseiro do automóvel.

Os modelos de assentos infantis descritos a seguir estão indicados conforme a fase do crescimento da criança.

Assento Infantil

Deve ser usado desde o nascimento até que a criança esteja pesando cerca de 10 kg, fase essa de fragilidade total e estrutura músculo esquelética imatura.

Será sempre colocada no meio do banco de trás do veículo, de “costas” para o painel, presa pelo cinto de segurança do automóvel.

O cinto de segurança da cadeirinha deve passar entre as pernas da criança e ser preso na estrutura que ali fica. Estes modelos contam também com um acessório que firma o pescoço do bebê.

Modelo Reversível

Pode ser usado até aproximadamente os 4 anos de idade (cerca de 18 kg), sendo que nesta fase ainda existe fragilidade da coluna vertebral.

Deve ser colocada no meio do banco traseiro, de costas para o painel, até que a criança complete 1 ano, depois disso será instalado de frente para o painel, no centro do banco. A criança ficará contida pelo cinto de segurança da cadeirinha, e a cadeirinha pelo cinto do automóvel

Assento Elevatório ou “booster”

Estará indicado quando o modelo anterior estiver inadequado (pequeno) para a criança, mas essa ainda não alcançou altura suficiente para sentar-se no banco traseiro, utilizando somente o cinto de segurança do automóvel, além de que a envergadura nesta fase é limitada. Este tipo de assento deve ser colocado no banco de trás, posicionado nas laterais, local este que promove segurança à parte superior do tronco e à cabeça. A criança ficará contida pelo cinto do carro, de preferência o de 3 pontos (melhor que o cinto pélvico), que assim passará pelo meio do ombro e pelas saliências ósseas do quadril.

Existem no mercado dois modelos de assento elevador: um com encosto, que possui cinto de segurança próprio, de 3 pontos, destinado a carros que não possuem encosto traseiro alto (ou que não alcança a altura das orelhas da criança), com isto o encosto do “booster” protegerá a cabeça e o pescoço, e outro modelo, que possui somente o assento elevador, próprios para aqueles carros que possuem encosto alto (que ultrapassa as orelhas da criança) no seu banco traseiro e cinto de 3 pontos, que será utilizado pela criança.

As crianças (ou adolescentes) poderão sentar-se no banco da frente, como passageiros, a partir do momento que alcançarem a altura de 1,45 m, conseguirem encostar os dois pés totalmente no chão do veículo, utilizando o cinto de 3 pontos de maneira correta.

Fonte: Recomendação SPSP (Sociedade Pediatria de São Paulo)