Vacinas para Viajantes

Distúrbios Alimentares
19 de novembro de 2018
Trauma Dental
11 de janeiro de 2019
 

Preparem as malas!

 O final de ano está chegando e as viagens já estão programadas.

Antes de viajar não se esqueça de algumas dicas importantes:

  • Passar em consulta médica;
  • Não esqueça do receituário de viagem;
  • Evite viajar na vigência de qualquer doença infecciosa aguda;
  • Antes de embarcar é fundamental se informar sobre o sistema de saúde local, principais doenças e se há necessidade de vacinação prévia;
  • Nos destinos mais quentes, evite exposição prolongada ao sol nos horários entre 10h e 16h;
  • Os raios ultravioletas são prejudiciais à saúde, use protetor solar adequado;
  • Beba bastante líquido e use roupas frescas e arejadas;
  • O planejamento evita que o turista enfrente epidemias ou visite locais com risco de doenças graves;
  • Importante: verifique as vacinas antes de viajar!
  • Consulte o calendário de vacinas do VIAJANTE: http://www.who.int/ith/en/

Você sabia que?

Hepatite B

Apesar de ser uma doença sexualmente transmissível, pode ser adquirida também através de contato com sangue ou secreções de portadores, além de objetos cortantes contaminados.

Hepatite A

É transmitida por via fecal-oral (ânus/boca), de pessoa para pessoa, e pela ingestão de água e alimentos contaminados por dejetos com o vírus. Prevalece em países de condições sanitárias inadequadas e em muitas regiões brasileiras. As viagens aumentam o risco de exposição a esse vírus.

Difteria, tétano, coqueluche, poliomielite

Podem acometer pessoas de qualquer idade.

A difteria é transmitida por gotículas de saliva e está controlada no Brasil, mas ainda é causa de raros surtos isolados.

O tétano é causado pela contaminação de ferimentos por terra, fezes e saliva ou por lâminas enferrujadas e por infecções dentárias.

A coqueluche, também transmitida por gotículas de saliva, está ressurgindo em todo o mundo.

A poliomielite está erradicada das Américas, portanto não há risco de ser adquirida no Brasil. Contudo, por conta do risco de a doença ressurgir devido ao deslocamento de pessoas pelo mundo, é necessário garantir que toda a população esteja imunizada.

Doenças meningocócicas

Podem ocorrer em qualquer parte do mundo e as crianças e jovens viajantes estão entre os mais afetados, principalmente os que frequentam ambientes com aglomeração de pessoas (grandes eventos, por exemplo), dormitórios e transportes coletivos, incluindo os ônibus de turismo e voos prolongados.

 

Febre tifoide

 A doença é causada pela bactéria Salmonella typhi, transmitida geralmente pela ingestão de alimentos ou água contaminados.

O tratamento requer uso de antibiótico. Algumas pessoas, mesmo quando tratadas adequadamente, podem tornar-se portadoras crônicas da bactéria, que fica alojada na vesícula biliar, onde permanece por muito tempo, sendo eliminada periodicamente, o que contribui para infectar outras pessoas.

O Brasil dispõe de vacina para febre tifoide, mas ela não é recomendada de rotina. Sua indicação deve ser considerada para viajantes que se dirigem às áreas de risco e lá permanecerão por tempo prolongado.

Pode acontecer em qualquer lugar do mundo, mas é mais frequente em países do sudeste asiático e África.

 

Febre amarela

É transmitida pela picada de mosquito infectado e a letalidade nos casos que manifestam sintomas varia de 5% a 50%.

No Brasil, a doença apresenta risco e a vacina faz parte dos calendários de vacinação de rotina nas regiões Norte e Centro-Oeste, no estado do Maranhão e em parte dos estados do Piauí, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Sarampo, caxumba, rubéola

 As três doenças estão controladas no Brasil.

Os registros de sarampo são de brasileiros suscetíveis, infectados durante viagens internacionais ou por viajantes estrangeiros em visita ao país e que transmitiram a doença para brasileiros suscetíveis. Eventos que reúnem grande número de pessoas de várias partes do mundo representam risco de sarampo.

O Programa Nacional de Imunizações tem avançado ano a ano para proporcionar melhor qualidade de vida à população com a prevenção de doenças.

O Calendário Nacional de Vacinação contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos e gestantes.

 

REFERÊNCIAS                                                                                 

Guia de Saúde, Viagens & Grandes eventos – 2ª edição. SBIM Sociedade Brasileira de Imunização

http://www.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/7118-dicas-de-sa%C3%BAde-para-uma-viagem-tranquila.html

http://portalms.saude.gov.br/component/content/article/1335-saude-do-viajante/9643-preparativos-para-a-viagem#vacinas

http://portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/vacinacao