Distúrbios Alimentares

Novembro Azul
6 de novembro de 2018
Vacinas para Viajantes
11 de dezembro de 2018
 

Alimentar-se é um ato integrador que, para ser aprendido pela criança, precisa também da participação da família (e/ou cuidador). A participação do adulto de maneira ativa nesse processo é fundamental, atuando como gerenciador da exposição alimentar da criança no ambiente em que ela está inserida. Essa valorização dos relacionamentos e das dinâmicas alimentares propicia experiências positivas para saciar a fome.

Quando o processo não dá certo, essa vivência fica afetada por comportamentos de negação e fuga da criança em aceitar novos alimentos, o que caracteriza uma recusa alimentar. Este é o momento de buscar um fonoaudiólogo especializado em abordagens alimentares, apto a avaliar as habilidades de prontidão oral, sensorial e orgânica da criança por meio de uma análise funcional da alimentação.

O programa de atendimento fonoaudiológico específico para atender os distúrbios alimentares tem como base a expansão das habilidades orais e a apreciação dos alimentos, a partir da exposição a diferentes tipos de comida e da autorregulação do comportamento infantil.

Ele visa a gerenciar a progressão das texturas e a rotina alimentar, elaborando estratégias favoráveis para a escolha dos alimentos e buscando uma relação positiva que priorize a mudança no processo alimentar.